O que é ser músico?

Ser músico é, antes de qualquer outra coisa, um caminho tortuoso. É, desde cedo, aprender a lidar com o preconceito. É saber que muitas pessoas vão te olhar e pensar que você não é algo que se chame de profissional, pois “músico é profissão?”. É ser menosprezado por pessoas que dizem que a música, por ser uma arte, é puro entretenimento e, portanto, dispensável. É ouvir que “a nota pra passar em música é um quarto de tal curso”. É ser chamado de vagabundo e preguiçoso, pois “não escolheu um curso difícil de entrar na universidade”. É saber que dificilmente você ganhará muito, mesmo trabalhando igual um condenado (pois é, músico trabalha, quem diria!).

Porém, ser músico também é ver e sentir a música, e não apenas ouvi-la. É nunca estar satisfeito consigo mesmo, achando que é preciso estudar mais. É ficar horas praticando a mesma escala, os mesmos acordes e as mesmas cadências. É se dedicar ao máximo mesmo que os outros digam que “está bom”, pois o “bom” não é o suficiente. É sentir dores de tanto tocar um instrumento ou de tanto cantar, e mesmo assim continuar tocando/cantando. É ouvir uma música de outra forma, tentando prestar atenção em todos os pequenos detalhes que, naturalmente, muitas pessoas jamais perceberiam.

Ser músico é optar pela solidão em momentos de festa ou reunião. É preferir estar a sós com seu instrumento em uma noite de silêncio a muitas coisas. É se apaixonar pelo seu instrumento, tomando ele como uma pessoa de fato, mas sabendo que ele nunca vai te abandonar, nem te julgar e, muito menos, te deixar na mão. É sorrir enquanto toca, é sentir um alívio ao conseguir afinar aquela corda. É procurar sempre a melhor forma de se fazer uma música, ficando horas e horas em apenas uma nota.

Ser músico é ser viciado em música. É querer ouvir toda hora, sem parar. É gostar de falar de música, desde a teoria às obras. É querer estar em um lugar onde tem música. É escolher um lugar para sair à noite não pela comida, pela bebida ou pelo próprio lugar em si, e sim pela música que toca lá. É parar na rua para ouvir um músico tocando pedindo dinheiro (e sofrer por dentro por ver uma cena como essa, tão frequente). É procurar erro enquanto os outros tocam (violonistas principalmente). É, às vezes, prestar mais atenção na trilha sonora de um filme do que nele próprio. É ler uma partitura como se lê um poema. É seguir um caminho de “estranho”, de alguém anormal. É chegar o mais perto possível de entender o que é a música, mesmo sabendo que nunca alguém conseguirá entende-la perfeitamente.

Ser músico é, acima de tudo, amar a música mais do que a si mesmo. É ter na música um refúgio, um abrigo, um amigo e um amor. É saber que sua maior glória não virá do dinheiro, nem da fama, nem do reconhecimento, pois muitas vezes eles não virão; é saber que você conseguiu tocar alguma pessoa com a sua música. É saber que nunca estará totalmente sozinho, pois todos podem te abandonar, afinal, as pessoas se esquecem, se separam, se abandonam e se despedem. A música não. A música nunca abandona. Mesmo que a gente tente, ela sempre vai estar ali pra nós.

Feliz dia do músico, povo.

 

Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s