O que é amor?

 

Amor é quando a gente quer estar junto. Fazemos de tudo para sentir o cheiro daquela pessoa chegando, e guardar na mente para nos lembrarmos dela mais tarde. Acordamos mais cedo, dormimos mais tarde, chegamos atrasados no trabalho ou universidade, mas não perdemos aquela pessoa ali de vista, pois sem ela o dia fica menos colorido, e o cinza toma conta de tudo ao redor. Ficamos tristes se a pessoa for embora, pois é mais tempo sem ter ela aqui do lado, sentada no sofá, na cadeira da sala, no chão do quarto, ou dentro do coração.

 

Amor é um piscar de olhos. O tempo passa mais devagar quando nosso amor está ao lado. Contamos os segundos para a pessoa chegar, abrir a porta e nos chamar pelo nome que ela quiser. E nos esquecemos das horas quando estamos de mãos dadas, observando os olhares um do outro, sentindo a respiração pesada um do outro, e pensando em milhares de coisas bobas e melosas e clichês e bonitas e vários outros “e”s para dizer para a pessoa. É pensar nessas coisas todas e ainda ficar sem palavras, preferindo calar o silêncio com um toque suave entre as bocas.

 

Amor é um poema com o nome daquela pessoa. É quando escrevemos na nossa mente, sem lápis ou papel, um verdadeiro livro inteiro de motivos que nos fazem amar aquela pessoa, para, depois de tudo isso, perceber que ainda falta muita coisa. É ler uma passagem de alguma obra que fale de amor e pensar nela. É ler a palavra “amor” e logo ver a imagem da pessoa brilhando em meio a escuridão solitária da mente. É querer mudar o significado dessa palavra no dicionário e colocar o nome dessa pessoa lá.

 

Amor é querer ver a pessoa feliz. É sentir que podemos arrancar um braço ou respirar por essa pessoa se for preciso. É saber que poderíamos fazer muito mais do que isso. É estar ali quando aquela pessoa mais precisar, mas também é estar ali quando ela não precisar. É ir correndo quando ela pedir ajuda, ou mesmo quando não quer nos chamar, mas sabemos que ela precisa de alguém naquela hora. É ligar e receber ligações de madrugada, ou em horas incomuns, da tal pessoa, pois ela não consegue dormir. E é ficar feliz de poder ouvir a voz dela, pois a voz de quem a gente ama é uma sinfonia completa.

 

Amor é não controlar o próprio corpo. É sentir as pernas tremendo quando a pessoa vem chegando. É sentir o ritmo cardíaco acelerar quando aquela pessoa nos chama, gritando nosso nome. É, inevitavelmente, sorrir toda vez que nosso amor está na nossa cabeça, surgindo quando sentimos saudade. É perder a voz, as palavras, o vocabulário todo quando ela está bem na nossa frente, esperando que a gente diga algo pra ela. É sentir uma vontade incontrolável de olhar bem nos olhos e dizer “eu te amo” quantas vezes o tempo permitir.

 

Amor é pensar numa pessoa o tempo todo. Acordamos, esfregamos os olhos, levantamos da cama, tomamos um banho, comemos algo, escovamos os dentes, vemos algum programa idiota na TV, trocamos de roupa, nos preparamos para sair de casa e depois saímos. Chegamos ao trabalho, batemos o ponto, fazemos nossos deveres, ficamos cansados, buscamos uma água, ou um café, conversamos bobagens com nossos companheiros de tarefas, terminados o expediente. Voltamos pra casa, tentamos relaxar, comer algo, tomar um banho, deitar e dormir. E em todo singelo segundo estamos pensando nessa pessoa, sem jamais esquecer. É dormir e acordar sempre amando a mesma pessoa.

 

Amor é sentir saudades. É saber que ao atravessar a rua não veremos sempre essa pessoa. Que nem sempre ela estará em casa nos esperando acordada. Que nem todas as vezes que ligarmos ela atenderá. É saber que nem sempre ela vai responder às nossas mensagens. É olhar uma foto velha, quando ainda éramos crianças, ou pelo menos mais novos, e perceber que havia amor ali, e que sentimos falta de um tempo em que dizer isso parecia brincadeira; parecia fácil demais. É sentir uma dor no peito quando seu nome é dito na rua, e saber que ela está distante demais pra nos ouvir chama-la.

 

Amor é um longo abraço, um beijo molhado, o calor do toque de mãos, o arrepio de um cheiro no pescoço. É uma palavra de apoio, uma foto velha, uma carta não enviada, um bilhete ainda guardado, um livro que foi assinado. É um sussurro ao pé do ouvido, um toque na cintura, um leve puxão de cabelo. É ficar triste por uma briguinha, é chorar de saudade, é sofrer de verdade pela ausência dessa pessoa. É um motivo pra continuar, um atalho para ser feliz, é dançar agarrado, é ter uma vontade de cantar uma música grudenta pra lhe agradar. É sentir ciúmes, ficar pra baixo depois de se despedir, ficar feliz depois de se encontrar. Olhar para o mar e lhe ver ali, estar só num bar e querer sair, só pra poder lhe encontrar. É ver um filme e pensar na pessoa, é ouvir uma música e pensar nela. É saber exatamente todas as manias, tristezas, sonhos e angústias dela. É ter certeza de que nessa pessoa terá um refúgio, um ninho, uma proteção contra tudo que nos faz mal. É saber que nem o sol fraco da manhã será mais bonito do que o sorriso da pessoa que a gente ama.

 

O amor é eterno. O amor dura pra sempre. Dura eternamente pra sempre.

 

Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s