Mulher, você é linda.

Você é linda, mulher, quando prende o cabelo ou quando o solta; e também quando não tem cabelos longos, ou nenhum cabelo. Quando usa aquele vestido longo ou saia ou shorts curtos. Você é linda quando prefere usar muita maquiagem ou maquiagem nenhuma; quando tem estrias, celulite ou até uma espinha no rosto. É linda quando não cabe numa calça trinta e seis, porque ninguém é obrigado a caber numa roupa. É linda também quando é acima ou abaixo do peso, porque, às vezes, isso realmente não depende de você. E mesmo se depender, você ainda é linda.

 

Você é linda, mulher, quando quer beber, sair sozinha e se ver livre. Quando escolhe não casar, ou quando quer casar; quando prefere um bar, um boteco, ou quando gosta mais de ir dançar no sertanejo. É linda quando fala muito palavrão, ou pouco, ou até nenhum; quando não é “mocinha”, mas também quando gosta de ser. É linda mesmo sem saber cozinhar, limpar a casa, lavar a louça e ser uma boa esposa. Afinal, o homem não nasceu para ser um bom marido, então por que você tem que ser uma boa esposa (ou qualquer coisa assim)? Você não nasceu para fazer nada disso, e muito menos para ser esposa. Você escolhe, é claro.

 

Você é linda quando pinta o cabelo de azul, ou verde ou até mesmo de branco. Também é linda quando prefere ele natural, sem tinta. Você é linda quando gosta de videogames, futebol, rock, filmes do Tarantino e de HQs. Mas também é se não gosta de nada disso; se prefere jogos de cartas, falar de moda, de assistir vôlei, ouvir Jorge e Matheus ou Maria Bethânia, ver filmes só de vez em quando e gostar mais de livros em geral. Você é linda se prefere dançar funk a ouvir Chico Buarque, se gosta de ver filmes do Godard ou nem conhece essa pessoa.

 

Você, mulher, é linda se tem o corpo tatuado e piercings no rosto todo, e também é se não gosta tanto da ideia. Você é linda se não se preocupa em se depilar tanto, mas também é quando pratica isso regularmente. É linda mesmo que não consiga usar salto alto, que não use brincos e joias, não vá à missa todos os domingos e prefira cachorros a crianças. Você é linda se faz crossfit quase todos os dias, mas é igualmente linda se se sente melhor vendo séries e comendo pizza na sexta à noite.

 

Você é linda mesmo com as olheiras que você tem por causa da noite que virou estudando. Também quando abdica de tudo para estudar para uma prova, ou até se não quer se dedicar tanto. É linda se for inteligente, racional, exemplar, querida e popular no meio de trabalho/estudo. Mas também é se for mais reservada, na sua, quieta, tímida, não tão destacada intelectualmente quanto “deveria ser” e sentir as energias do universo ao seu redor.  Você é linda se acredita em signos ou acha que as pessoas fazem besteira naturalmente, sem precisar dos astros.

 

Você é linda se conseguiu sair de um relacionamento abusivo. Mas também é se ainda não conseguiu, pois isso não deve ser fácil. Você é linda se tem bunda pequena, peitos pequenos ou quase não tem peito. Também é linda se só tem um lado do peito. Se o seu cabelo é longo e sedoso, se é crespo e durinho, ou se ele começou a cair muito cedo. Você é linda se quiser ser virgem até o casamento, mas também é quando transa no primeiro encontro. Quando vai pra balada e pega geral, mais do que seus amigos homens, ou quando prefere só ir pra dançar.

 

Você é linda, mulher, se você gosta de mulher. Se gosta só de homens, ou de homens e mulheres. Você é linda, mulher, se nasceu homem. Se até hoje você é homem, mas ainda é mulher. Você é linda se não usa sutiã, se quer ser solteira sempre, se não quer ter filhos, mas depois muda de ideia e decide que quer.

 

Você é linda se, quando era pequena, seu vizinho, “amigo”, padrasto, pai ou qualquer homem abusava de você. Você não é a culpada. Você é linda se tem traumas disso até hoje, mesmo que tenha que escutar que a sua “saia curta pode ser a culpada”, que “você é que estava pedindo”, “o que você fazia sozinha àquela hora da noite?” ou “eu não te estupro porque você não merece”. De novo, mulher: a culpa não é nem nunca será sua.

 

Você é linda mesmo quando apanha do marido agressivo, quando sofre violência verbal no trabalho, quando precisa ouvir comentários machistas de algum professor, quando te rebaixam por ser mulher ou quando dizem que você tem culpa de quererem te estuprar. Você é linda quando aguenta firme e forte tudo isso, mas também é quando desaba em choro pelo peso todo nas costas. Você é linda quando precisa criar os filhos sozinha, pois o cara que te engravidou foi embora. Você é linda quando precisa estudar e trabalhar ao mesmo tempo, tendo crises de ansiedade e depois depressão, precisando tomar remédios controlados. Você é linda quando faz tudo isso e ainda te chamam de fraca.

 

Você é linda mesmo que olhe no espelho todos os dias e não aceite isso; que não veja beleza em si mesma, que se odeie, que se corte, que se mutile, que queira a sua própria morte. As pessoas não entendem porque não são você; mas a maioria não quer nem tentar entender. E deve ser difícil não se querer, ter vontade de ser outra pessoa, pelo fato de não se aceitar. Mas eu repito, mulher: você é linda demais. Mesmo que sempre encontrem algum motivo para te rebaixar, só por ser mulher.

 

Não sinta vergonha de ser mulher. Você é linda demais pra isso.

 

Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s