Um dia você se acostuma.

Um dia você se acostuma com a ideia de crescer. De ficar mais velho e talvez mais alto; de ganhar mais responsabilidades, ter de trabalhar ainda jovem para ajudar em casa ou estudar para ganhar dinheiro. Você se acostuma com as cobranças que vêm sobre você e sobre o que você faz. Contas, problemas hormonais, tensões no trabalho, na escola, na faculdade ou mesmo fora desses lugares todos. Você deseja, às vezes, esquecer que quis ser adulto quando era criança, afirmando, hoje, que “era feliz e nem sabia”, mas só por causa dos seus problemas mesmo. Pode parecer que não, mas um dia você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a se sentir cansado. Sentir as dores na coluna, nas pernas, de cabeça e no corpo em geral. Sente a rotina pesar sobre você, lhe obrigando a ir até locais que você não quer. A pegar dois ônibus, às vezes lotados, para ir até algum compromisso, sendo que ainda nem dormiu direito na noite passada. Você sente raiva ou desespero, até mesmo apreensão, por não conseguir finalizar um trabalho, projeto, artigo ou qualquer coisa assim, e sente esses sentimentos te consumirem, te deixando quase louco. Sente um cansaço estranho ao levantar da cama e ao deitar-se nela também. Mesmo que não pareça, um dia você vai se acostumar.

 

Um dia você se acostuma a errar. Você vai errar ao escolher um curso numa universidade qualquer porque seus pais quiseram. Vai errar ao deixar de lado alguns costumes que te faziam feliz só porque diziam que eram coisas inúteis, como desenhar e tocar algum instrumento. Vai errar ao tomar um caminho perigoso pra casa de noite e acabar sendo assaltado. Vai cometer o erro nas relações pessoais. Decepcionar seus pais, frustrar alguns amigos próximos, brigar com o seu cachorro, errar ao pensar que amou alguém. Vai errar várias vezes, achando que acertou. Depois, talvez, perceba os erros.  É difícil, mas um dia você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a perder. Você vai perder brinquedos antigos, livros que amava e jogos de videogame. Vai perder hábitos que adorava, manias que te incomodavam e alguns medos passados. Um dia talvez você perca algum amigo importante, algum primo que você brincava muito ou algum tio que lhe ensinou a nadar. É possível que você perca o amor da sua vida (às vezes sem saber que é o amor da sua vida). Talvez você perca tempo esperando por algo que não deve acontecer, como um título de um time de futebol, uma promoção no trabalho, uma carta que enviou faz tempo ou a confiança de alguém. Você pode perder o respeito de alguma pessoa, o carinho de um irmão ou as fotos velhas de um melhor amigo. Você pode perder coisas demais, mas um dia você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a mudar. Você muda de apartamento, daquela velha rua da infância. Você muda de escola, de ares e de amizades. Muda de CDs favoritos, de livros que gostava e de roupas que comprava. Você muda de cidade, de vida, de opiniões e de modos de ver e encarar as mesmas pessoas de antes. Você muda de parceiro, de formas de se comunicar; muda de país, de visual e de sotaque até. Você muda sua forma de falar, de ler, de desenhar, de se relacionar e de amar. Você muda de opinião sobre o valor de um abraço demorado e sobre filmes nacionais. Você muda a forma como olha nos olhos de alguém. Por mais estranho que seja, um dia você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a ter saudade. Você vai ter saudade de uma casa que morou, de um amigo que se separou e de um bicho de estimação que morreu. Vai ter saudade de jogar dadinho após futebol, falar besteiras com velhos amigos num bar e de ir às partidas do campeonato aos domingos. Saudades de almoçar com velhos conhecidos, contar as mesmas histórias de sempre e virar noites cantando Beatles (se você gostar de Beatles). Você vai sentir saudades dos caminhos que fazia para sua escola, para a casa dos amigos, para os bares, para os shows e para a casa de parentes. Vai sentir saudade de algumas vozes e sorrisos que não falam nem sorriem mais, e de outros que não o fazem mais de onde você possa ver. Um dia, apesar de não parecer, você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a ficar um pouco sozinho. Você se acostuma a ir ao supermercado e voltar com as compras sozinho. Você se acostuma a voltar da universidade sozinho; a andar sozinho por aí, descobrindo cantos da cidade que antes que você desconhecia. Você se acostuma a fazer escolhas certas e, principalmente, erradas sozinho. Você se acostuma a ir à livrarias sozinho, a ir à praia sozinho e ver filmes no cinema só. Você se acostuma a aproveitar muito bem seu tempo sozinho, mas, às vezes, a não conseguir aproveitar direito. Você então se acostuma a acordar, viajar, morar e até viver  uma parte grande dos seus dias sozinho. Você se acostuma.

 

Um dia você se acostuma a tudo isso. Esse dia pode não ser hoje, amanhã, semana que vem nem nesse ano. Pode ser que demore ou não. Mas um dia, com certeza, você se acostuma.

 

Abraços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s