Mudar é preciso.

Não tenha medo, nunca, de mudar.

 

Não tenha medo de parar de ler um livro pela metade. Ninguém é obrigado a ler tudo até o fim. A história não cativa? O enredo te é chato? Tu não suportas mais a descrição enfadonha de tudo? Então pare. Feche as páginas, quase terminando, e pare de ler. Não se obrigue a continuar nesse conto, porque ninguém deveria ser obrigado a nada parecido. Procure um novo livro: ao invés de drama, pegue um romance. Ao invés de investigação policial, busque uma fantasia épica. Busque, até, um de autoajuda quando os livros de autores pseudo-cult te encherem o saco. Apenas mude.

Não tenha medo de mudar de estilo de se vestir. E daí que a calça apertada não dá mais em ti? O quê que tem se a saia rodada te deixa na dúvida? O que tem de mais se um cropped que antes tu amavas agora é mais uma peça sem uso? Não tem problema não gostar mais da mesma roupa da semana passada. Quê que tem? Troca: usa uma jaqueta listrada nova, tenta usar menos all star, procura uma nova cor ao invés de branco, azul claro e preto. Saia dessa pele antiga e busque um vestido novo.

O que tem se você escolheu errado esse curso ou profissão? Se você tinha chances e condições para isso, e ainda assim se sente estranho ali, qual o problema? Só porque todos ao seu redor e a tua família insistem com o papo chato de te comparar aos outros tu tens de aguentar todos os dias estudar algo que odeias? Tens de aguentar todo dia professores babacas, disciplinas inúteis e ladainha acadêmica?

Não sinta receio de abandonar algumas pessoas que te fazem mal. É difícil se separar de antigos amigos, namorados e conhecidos que te fazem ficar triste e te sugam a energia. A gente acaba se acostumando a eles; convive, divide vidas, experiências, afetos e confiança. Mas, às vezes, algo dá errado no caminho e tudo se perde. Então a gente percebe que precisa cortar laços, acabar com aquilo que os mantém ligados pra que a vida siga bem. Às vezes é preciso abandonar alguém que a gente até pode amar, mas que não nos ama de fato, para que a gente possa, enfim, amar outras coisas novamente.

Jamais sinta vergonha de errar. Todos erram e já erraram alguma vez na vida. Nós não somos diferentes: erraremos até não poder mais. Construiremos coisas ruins com os erros, mas também criaremos coisas maravilhosas com eles (eu, por exemplo, conheci o amor da minha vida num “erro”, que foi beber demais). A gente vai se acertando, remendando devagar os cortes e reconstruindo nós mesmos, porque algumas vezes estaremos totalmente destruídos. Mas sempre sobra um pedaço pra recomeçar, acreditem.

Nunca, em hipótese alguma, se recusem a amar. Se estiver apaixonado, declare-se. Se estiver com “crush” em alguém, vai lá e tenta. Se realmente é amor, então se jogue. Não “tenha cuidado” demais; não “vá devagar” demais. Não “desapegue” demais. Não “se faça de difícil” demais. Joguinhos não são legais, na real. São chatos e desnecessários. Porque eles te fazem perder as pessoas, te fazem se afastar e te fazem deixar de amar alguém.

O amor não foi feito (seja lá quem tenha o feito primeiro) para ser escondido, mascarado, dosado ou comprimido. Ele nasceu para ser livre, para voar e amar. O amor é sentimento forte demais para qualquer gaiola, e nada deve, jamais, deixa-lo longe daquele que o faz existir.

Diga às pessoas que tu amas que tu as ama. Diga aos teus pais; diga aos teus tios; diga aos teus avós; diga aos teus filhos; diga aos teus amigos; diga aos teus melhores amigos; diga aos teus irmãos de sangue; diga aos teus irmãos de vida. Diga a todos aqueles que te fazem sentir amor de alguma forma que os ama. Não tenha medo de amar, nunca.

 

Mudar é difícil. Dói, machuca e às vezes nos marca pra sempre. Mas, às vezes, é necessário. É preciso que os pássaros migrem para sobreviverem. É preciso que as estações mudem para o mundo continuar. É preciso mudar quando nada ali te faz bem. Mudar, de novo, nunca será fácil.

Mas mudar é preciso quando é a única opção.

Mude hoje.

Porque amanhã pode ser muito tarde para tudo isso.

Mas, acredite, se a mudança começar hoje, então, amanhã o dia pode nascer mais escuro. Então, do nada, depois de amanhã o sol brilha mais pra ti. E tu vais perceber que mudar era preciso.

Vais perceber que é mudando que a gente encontra a tão sonhada e confusa felicidade.

É isso.

Apenas (tudo) isso.

 

Abraços, amigos.

Feliz 2018 para todos nós.

Que o amor sempre esteja ao alcance de vocês.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s